História de amor e amizade

Desde pequeno Roberto sabia que não era como os outros meninos. Não achava graça em suas brincadeiras. Preferia o mundo das meninas. Crescendo em meio a muita violência, tornou-se diferente de todos. Desenvolveu cuidadosamente a sua feminilidade. Observou as mulheres e adotou os seus modos mais delicados. Mas tinha que se defender. Os perigos eram físicos. Aprendeu a brigar e a olhar nos olhos do adversário com destemor e insolência. Fazia qualquer um perder o rebolado. Descobriu e aperfeiçoou nas ruas a arte do furto. Não passou mais fome.

Correndo riscos diariamente, acabou na cadeia. Teve que matar para se defender dos abusos dos outros presos. Ganhou o respeito da bandidagem e muitos anos adicionais de pena.

Com o tempo percebeu que havia se tornado mulher. O pessoal da prisão passou a chamá-lo de Roberta. Ela gostou. Viveu sozinha, cuidando das roupas dos colegas, por muito tempo.

Preferia que fosse assim, até o dia em que chegou na cadeia o Toninho. Rapaz bonito e de bom conceito no crime, Toninho tinha sido traído pela esposa, que o entregou à polícia. Encontrou em Roberta uma boa amiga. Passaram a conversar muito todos os dias. Em pouco tempo, estavam namorando. Andavam abraçados pelo pátio, trocavam beijos e carícias. flor

O presídio se alegrou com a novidade. Era bom ver um casal apaixonado. Amenizava a dureza do dia-a-dia. Num domigo, durante a visita, Toninho apresentou a namorada à sua mãe. Para ela foi um alívio perceber que o filho tinha esquecido a mulher que o colocara na prisão. No domingo seguinte levou os meninos para conhecerem a namorada do pai. Todos ficaram felizes imaginando a família que se formaria quando a liberdade chegasse.

Mas as coisas nem sempre acontecem como planejado. Com muita dificuldade e um pouco de tristeza, Toninho terminou o namoro. Explicou para Roberta que gostava muito dela, que ela era a sua primeira e melhor amiga, porém não a olhava mais com desejo. Seus olhos estavam voltados para os rapazes. Descobriu que queria ser para um homem a namorada que Roberta fora para ele.

Roberta se entristeceu e precisou tomar remédio para a depressão. Mesmo assim, olhando pelo lado bom, entendeu que tinha perdido o namorado, mas ganhado uma amiga. Quem diria, pensava com os seus botões, que poderia ter uma amiga na cadeia.

Esse post foi publicado em Coisas do mundo, Posts requentados. Bookmark o link permanente.

4 respostas para História de amor e amizade

  1. Que texto mais lindo e delicado, parabéns! É de uma sensibilidade enorme, aquele tipo de coisa que te dá um sorrisinho meio bobo, assim, de lado, depois de ler. Gostei muito mesmo.

  2. Virgílio disse:

    Pancada, manô!

  3. Tiago Aguiar disse:

    Sem palavras Carlos. Quer dizer, acho que poesia pode definir a sensação que o texto causa. Abraços!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s